quarta-feira, dezembro 29, 2010

Da aparente heroicidade.

Um tal de Assange tornou-se, nos últimos meses, o paladino da liberdade de informação. Já de violação de correspondência ninguém o acusa. É também apelidado de herói; aquele que galhardamente desmistfica os segredos do polvo americano. Não vou por aí. Reconhecer-lhe-ia heroísmo se revelasse segredos militares e diplomáticos da Rússia, da Coreia do Norte, entre outros - isso, sim, seria coragem. Não o fazendo, não passa de um pobre de espírito sequioso de protagonismo (rectius: milhões de dólares). Com uma pequena agravante: o que ele faz coloca em risco a subsistência do mundo ocidental ante a voracidade dos radicais. E isso só os anti-americanos primários não alcançam. A estes, simplesmente, era recambiá-los para o Irão. Iam gostar. E que levassem o Assange com eles.

2 Comentários:

Às 4:17 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

O Assange é trabalhador da Ensitel? Em que clube joga?

 
Às 9:02 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

Ora nem mais!!!!!!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial