terça-feira, novembro 01, 2011

Mais FF, no DN.

"O secretário de Estado da Juventude, Alexandre Mestre, disse uma coisa que está certa: os jovens portugueses que estão desempregados deviam pensar em emigrar. Havendo, desde ontem, sete mil milhões de homens espalhados pelos quatro cantos do planeta, andar por aí até é bastante comum. E Mestre usou uma fórmula, "ir para além das nossas fronteiras", que condiz connosco: que outra coisa fez Portugal ao longo dos séculos? No entanto, há alguma coisa errada em ser o secretário de Estado da Juventude a dar a ideia. Desde logo, a desistência das suas funções: caberia ao governante propor aos jovens o que fazer cá dentro, não anunciar-lhes que não há que fazer cá dentro. Afinal, ele é só secretário de Estado da Juventude Empregada. Apetece a demagogia: indo o desemprego jovem em 23%, Mestre não deveria baixar o salário na quota correspondente aos jovens que não governa? O primeiro tratado de emigração assinado por Portugal foi com o Reino do Havai, em 1878. Nessa altura, Portugal contratou um determinado salário e casa durante um ano para os seus emigrantes. Não seria grande coisa, mas notava-se uma política, uma preocupação, uma qualquer coisa mais do que o actual convite para zarpar. E, depois, houve aquele infeliz "temos de sair da zona de conforto", proposto por Mestre aos desempregados. Temos? Nem eu nem o secretário de Estado "temos", pois não? Então, um pouco menos de soberba sobre o conforto dos outros."

4 Comentários:

Às 4:17 da tarde , Blogger Pedro Coimbra disse...

Uma mensagem de esperança, sem dúvida.
Os nossos governantes são muito piadéticos, carago!!!

 
Às 2:12 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

Triste demais para ser verdade (as declaraçoes), verdade que os jovena não tem futuro neste país, que cada vez menos gosto dá viver.Abraço

 
Às 9:07 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

O secretário de estado da juventude, Alexandre Mestre, não passa de um inconsequente..ele que dê o exemplo, pois não é mais que um fedelho pós 25/abril/74.

 
Às 9:10 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Os putos que andam pelo governo, não passam de uns parasitas! Não é só este paspalhão, existem mais ums boa dúzia deles, em que os seus discursos roçam a imbecilidade, mas como os imbecies fazem parte da vida temos de os aturar! Abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial