quinta-feira, maio 26, 2011

Cadê o nosso pingue-pongue? - Por Ferreira Fernandes.

"Não foi o príncipe herdeiro inglês George Augustus Frederick (1762-1830) que, em vez de suceder ao seu pai George III e tornar-se George IV de Inglaterra (como aconteceu), preferiu ser o primeiro Presidente dos Estados Unidos. Foi mesmo o americano George Washington que teve de mudar a História. Dir-me-ão: mas não é normal que seja um filho da colónia a liderar a independência, e não o filho do colonizador? Claro, claro. Mas ao ler por estes dias as declarações de amizade especial, da relação essencial e da identidade histórica entre a Inglaterra e a América, o jogo de ping-pong entre David Cameron e Barack Obama, ainda pensei que tanta mão na mão, tanto olhar posto no futuro comum - e na língua comum! - pudesse beber num passado insólito. Sei lá, que os Estados Unidos não tivessem precisado de uma luta dura e de anos para se livrar da opressão colonial. Sei lá, que, voltando à hipótese absurda, um príncipe da monarquia colonial tivesse dado o grito de Potomac e libertasse a colónia. Mas, estou de acordo, isso seria demasiado insólito. Seria como se o filho do rei português, tivesse decidido declarar a independência do Brasil, e feito proclamar-se imperador. Ah, isso aconteceu com o infante D. Pedro? A sério? É estranho como, com esse passado, Portugal e Brasil não tenham um presente com ping-pong e olhar posto no futuro comum e língua comum."

3 Comentários:

Às 5:12 da tarde , Blogger Pedro Coimbra disse...

Este tipo é do caraças!!!

 
Às 9:02 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Boa!

 
Às 6:24 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Os EUA foram criados pelos Europeus, tal como na criação/construção da generalidade dos Países Africanos. Só que o veneno esquerdista/comunista, por onde passa destroi tudo, foi o que aconteceu em Àfrica e por isso as coisas estão como estão!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial