quarta-feira, fevereiro 29, 2012

Manias.

Há muito, muito tempo, numa terra longínqua, havia uma passadeira para peões ali entre a Rua Infante D. Henrique e a Rua Dr. Pedro José Lobo. Ora, esta desavergonhada passadeira era um estorvo e um pesadelo para os apressados e pouco urbanos condutores da urbe. A oligarquia da terreola, sensível aos irrebatíveis argumentos dos “Sennas” e “Prosts” da povoação, fez o que dela se esperava: acabou com a passadeira (que substituíu por uma barreira de cimento). A lógica: muitos peões atropelados na passadeira, acaba-se com a passadeira! Enfim, até aqui, infelizmente, nada que surpreenda. Acontece que me lixam o lanche, pois agora tenho de andar mais dois quarteirões para ir sorver um sumito e tragar uma sandocha. Claro que podia marimbar-me para a inexistência da passadeira e atravessar a estrada em qualquer lado - como fazem os continentais que por aí pululam aos milhares. Mas, enfim, tenho a incompreensível mania de fazer uso daquelas estranhas listas brancas, o que é que se há-de fazer...

4 Comentários:

Às 5:24 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Homem prevenido vale por dois...

 
Às 5:26 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

São as chamadas "manias" que só fazem bem...Abraço

 
Às 6:55 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

DÁLES, Vici

 
Às 12:40 da tarde , Blogger Pedro Coimbra disse...

Aquilo era um bocado inestético.
Acho que foi por isso que tiraram de lá :)))

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial