quinta-feira, Fevereiro 15, 2007

O Costa d'África


Ontem, à margem desse dia de verdadeira histeria que é o dia dos namorados, reuni-me com uns amigos para ver o filme O Costa d'África. E não, não se tratou de um bando de rebarbados a carpir mágoas ou despeitos! Já há muito estava aprazado este convívio tertuliano e ontem era um dia tão bom como qualquer outro para a cavaqueira...

Ora, o filme de que vos falo acima, é pertencente à época de ouro dos filmes Portugueses dos anos 50, onde pontificavam nomes como António Silva, Ribeirinho, Laura Alves, Vasco Santana, Milú, e tantos outros de igual jaez.

Se vos falasse do Leão da Estrela, do Pai Tirano ou da Canção de Lisboa, certamente que já todos terão visto ou, quando menos, ouvido falar por uma ou outra razão. Sobre o Costa d'África, nada ou muito pouco! Posso garantir-vos que o filme é hilariante! Porquê então tal desconhecimento? Porque a liberdade surgida do 25 de Abril o ostracizou!

O filme retrata uma realidade que já não existe. Um colonialista (interpretado pelo grande -em todos os aspectos- Vasco Santana) vem visitar um sobrinho à metrópole. Sucedem-se as tropelias e trocadilhos próprios dos filmes da época. No entanto, devo confessar, surgem igualmente algumas alusões mais picantes ao tom de ébano que cobre o corpo de grande parte dos Africanos.

No fundo, mais não é do que um retrato daquilo que era a realidade da nossa época colonial. Não obstante, creio que o filme é servido com humor e que deverá ser observado com a distância temporal e com a elevação intelectual que se impõem. E, mesmo que assim não fosse, não percebo o porquê de votar o filme ao esquecimento! Acaso pretendem também ocultar o passado ou expiar culpas? Pela parte que me toca, nem uma coisa, nem outra!

Curioso como um país tão aberto, democrático e moderno em tantas situações (a acreditar no que tenho lido nos últimos dias), se mostra tão conservador, temperante e moralista noutras.

No momento actual, em que a comédia e os seus fautores percorrem de forma arrasadora e mordaz todos os quadrantes da vida pública (e, às vezes, privada), é estranho que as susceptibilidades sejam tão... orientadas. Afinal, trata-se apenas de uma comédia que, a espaços, é apenas inocente...

Vá, toca lá a ir a correr comprar a película! Garanto que não se arrependerão!

ABREIJOS!

32 Comentários:

Às 7:09 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Concordo plenamente com todas essas palavras. Continuamos a viver à sombra do complexo esquerdista do pós-25 de Abril. E a culpa é, as mais das vezes, da comunicação social, incluindo televisões públicas e privadas. Melindram-se com manifestações "normais" para uma sociedade ainda atrasada característica dos anos 50 a ponto de se recusarem a passar tal película, mas esquecem-se de censurar actos tristes de uma dita sociedade desenvolvida e civilizada que leva alguns energúnemos a cuspirem na cara e a arremessarem pedras a algumas pessoas que, no seu pleno direito, celebravam em meados dos anos 90, numa cerimónia litúrgica normalíssima, o aniversario da morte de Salazar. Enfim...

 
Às 12:00 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Ó anónimo, é uma vergonha que defenda Salazar! Talvez se tivesse vivido naquele tempo, o que, depreendo das suas palavras, manifestamente não aconteceu, talvez assim tivesse outras ideias!

JM

 
Às 12:57 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Meu caro JM,
Se ler e interpretar devidamente as minhas palavras, vai concluir que não há obviamente qualquer defesa a Salazar. Há unicamente a defesa de direitos iguais para todos, o que não acontece ainda em Portugal. Admito que seja natural e compreensível haver ainda algum complexo face ao passado, pois o período pré-Revolução de Abril ainda está muito fresco na memória das pessoas. No entanto, estaremos no bom caminho apenas quando houver liberdade para todos e quando se permitir a alguém, sem qualquer preconceito e crítica negativa, implícita ou explícita, a celebração da data do falecimento do Salazar, tal como se permite, sem censura, a celebração da data da morte de alguns líderes de esquerda, alguns, esses sim, verdadeiramente radicais e extremistas. Nem vale a pena mencionar nomes e não é meu intuito entrar em disputa com quem quer que seja sobre este ou qualquer outro assunto. Outros argumentos poderia aduzir a este comentário para lhe provar que a sociedade portuguesa ainda é injusta e complexada, desde logo a redacção (já) ultrapassada e perfeitamente iníqua do artigo 46.º, 4 da CRP, mas não vale a pena entrar por aí. Deixemos isso para os nossos constitucionalistas, que já se manifestaram inclusivamente sobre esse assunto, no sentido de se alterar tal redacção, de modo a que sejam dados alguns passos, que já tardam, no sentido de tornar a sociedade portuguesa uma sociedade verdadeiramente livre.
Por aqui termino o meu testemunho e espero ter sido suficientemente claro. De qualquer modo, ao seu discurso inflamado e exclamativo, respondo com toda a serenidade...

 
Às 1:03 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

"serenidade"? Como o paulo bento? ;)

 
Às 3:25 da tarde , Anonymous Au Lek Va disse...

"do... mas antes de Espinho fica Ovar!..."

Au Lek Va

 
Às 3:44 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Eh pá, o que práqui vai...

 
Às 3:46 da tarde , Blogger VICI disse...

Tantos anónimos!

Façam lá o favor de se identificar...

 
Às 3:50 da tarde , Blogger VICI disse...

Já agora, lanço um desafio: alguém sabe a que filme se reporta a foto que está no post?

 
Às 3:54 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

E antes do filme, cantaram o hino da mocidade Portuguesa?

 
Às 4:11 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Antes o dito hino do que cantar a Internacional socialista em Ré sustenido diminuto...

 
Às 4:21 da tarde , Anonymous Au Lek Va disse...

"Já agora, lanço um desafio: alguém sabe a que filme se reporta a foto que está no post?"

Note-se o modo subtil do gestor do blog em direccionar os comentários para uma via apaziguadora e dinamizadora deste pequeno "forum"!

Boa tentativa...

 
Às 4:32 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Mas por alma de quem é que o anónimo das 6;09 tem de ter ideias compatíveis com as ideias - e ainda não sabemos bem quais são - de JM?

Rafael Hitlodeu

 
Às 5:11 da tarde , Blogger VICI disse...

Mas afinal alguém me quer dizer como se chama o filme da foto? O filme, o filme!

 
Às 5:16 da tarde , Anonymous Heterónimo disse...

Hino da Mocidade Portuguesa


Lá vamos cantando e rindo
Levados levados sim
Pela voz do som tremendo
Das tubas clamor sem fim

Lá vamos que o sonho é lindo
Torres e torres erguendo
Clarões, clareiras abrindo
Alva de luz imortal
Que roxas névoas despedaçam
Doiram os céus de Portugal

Querer querer e lá vamos
Tronco em flor estende os ramos
À mocidade que passa

Cale-se a voz que turbada
já de si mesmo, se espanta.
Cesse dos ventos, a infâmia
ante a clara madrugada,
em nossas almas nascida.

E por ti, ó Lusitânia,
corpo de Amor, Terra Santa.
Pátria, serás celebrada
e por nós, serás erguida.
Erguida ao alto da Vida.

Lá vamos, cantando e rindo

 
Às 5:18 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Caro VICI,

Acho que comentários como os do heterónimo são escusados!!!

 
Às 5:23 da tarde , Anonymous Heterónimo disse...

Assim se ensinava o que é a Pátria
Menino, sabes o que é a Pátria?


A Pátria é a terra em que nascemos, a terra em que nasceram os nossos pais e muitas gerações de portugueses como nós.
É a nossa Pátria todo o território sagrado que D. Afonso Henriques começou a talhar para a Nação Portuguesa, que tantos heróis defenderam como o seu sangue ou alargaram com sacrifício de suas vidas. É a terra em que viveram e agora repousam esses heróis, a par de santos e de sábios, de escritores e de artistas geniais. A Pátria é a mãe de nós todos os que já se foram, os que vivemos e os que depois de nós hão-de vir.
Na Pátria está, meu menino, a casa em que vieste à luz do dia, o regaço materno que tanta vez te embalou, a aldeia ou a cidade em que tu cresceste, a escola onde melhor te ensinam a conhecê-la e a amá-la, e a família e as pessoas que te rodeiam.
Na Pátria estão os campos de ricas searas, os prados verdejantes, os bosques sombreados, as vinhas de cachos negros ou de cor de ouro, os montes com suas capelinhas brancas votivas.
A Pátria é o solo de todo o Portugal, com as suas ilhas do Atlântico (Açores e Madeira, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe...), as nossas terras dos dois lados de África, a Índia, Macau, a longínqua Timor.
Para cá e para além dos mares, é a nossa Pátria bendita todo o território em que, à sombra da nossa bandeira, se diz na formosa língua portuguesa a doce palavra Mãe!....

Livro de Leitura da 3ª Classe,
Porto Editora, Lda., 1958, pp.5-6

A nossa querida Pátria


Ao vermos a enorme extensão do Império Português, admiramos o heroísmo com que os nossos antepassados, - sábios, marinheiros, soldados e missionários, - engrandeceram a Pátria. Por ela atravessaram mares desconhecidos, sofreram as inclemências de climas insalubres e travaram lutas cruéis em paragens longínquas.
Aprendamos a lição do seu esforço, para amar e servir, como eles, a nossa querida Pátria.

Livro de Leitura da 3ª Classe,
Porto Editora, Lda., 1958, p. 11

Publicado por salazar às maio 6, 2005 03:56 PM

 
Às 5:32 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Heterónimo,

Essa ideia de pátria é muito bonita, mas há-de reparar que esse sentimento exacerbado é precisamente o que hoje se critica nos Americanos... ;)

 
Às 5:33 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Pelas 4:11PM começa a ser notório "o desespero de Vici" (isto dava para título de filme...) ao não tomar as rédeas do seu blog...

Já não se resume a criar "fait-divers" sobre este post com desafios sobre fotos e filmes...
... mas já cria novos posts no intuito de distrair os anónimos para Kota Kinabalu...

Uma tentativa bem mais arrojada, bem conseguida...

 
Às 5:37 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Estes seus amigos têm muito sangue na guelra, a algazarra que arranjou só por causa de um filme!!! Até parecem dondocas em pleno pugilato na época de saldo, credo, não carece!!!
Eu cá adorei esse filme... Para mim é o melhor de todos os da época! E atenção, estou a marimbar-me para a Política...

 
Às 5:42 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

O Oriente é Vermelho!!!

 
Às 5:42 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Sem dúvida, anónimo das 4,33PM! O VICI está tão à rasca com o caminho que isto está a levar que, doravante, será vê-lo a "postar" sobre crochet, macrame, artesanato e música ligeira portuguesa a ver se isto não descamba de novo. Ainda o acusam de fomentar a criação de algum movimento reaccionário ou de alguma facção da Frente Nacional... ;)

 
Às 5:59 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Há infiltrados kuomitang neste blog?

 
Às 3:42 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

As mensagens assinadas "heterónimo" não são minhas.

Rafael Hitlodeu

 
Às 12:58 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

Discutia-se numa aula de História Diplomática de Portugal (Fac. Direito/UL, ano de 1989)termos ou não termos "políticos a sério" em 900 anos de história. A discussão já ia longe, sem sabor e sem soluções... desafiei a turma e o docente´:
- Descubram-me 5 "políticos a sério", para ajudar adianto três - D. Dinis, D. João II e o Marquês de Pombal.
Esta passagem da teoria à prática foi dramática. Porque ninguém adiantasse mais dois nomes, eu próprio disse:
-Adianto um 4º nome: Salazar.
A turma continuou calada à espera de um nome dos ditos democratas.
Ficamos por ali.
Não creio que haja um único "político a sério" após o 25 de Abril. Esta é para mim uma verdade quase absoluta, que o primeiro me demonstre o contrário.
Os homens são aquilo que são e valem aquilo que valem. E a minha pátria "é a terra em que nascemos, a terra em que nasceram os nossos pais e muitas gerações de portugueses como nós..." como um político a sério me ensinou nos anos 50, cujo nome eu tenho o dever de honrar.

AM

 
Às 11:09 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

O filme da foto é a "Canção de Lisboa".
Será que alguém consegue arranjar o DVD do filme em questão "O Costa d'Africa"? Não se encontra em lado algum... Há anos que ando atrás deste filme. Apenas tenho uma gravação de uma passagem pelo canal2 mas gostava de o ter em DVD.
Se alguém souber agradeço que me informe. O meu mail é o goncaloribeiro@iol.pt

Gonçalo Ribeiro

 
Às 6:22 da manhã , Anonymous Luis Fernando disse...

Bem, começamos a falar do Costa d'Africa e acabamos a discutir os chavões de ódio que os politicos pós 25 abril de 1974 cuspiam. Em comum entre o filme e os chavões, só a comédia.
O filme mostra o português self made man em Africa, expondo os seus ridiculos.
Hoje, época de liberdade, igualdade, fraternidade e outras dades que vewm na lista, encontramos cada vez mais no nosso pais, discriminação no trabalho, medo na rua, desemprego social, pobreza economica.
Nos anos 50, os portugueses podiam rir-se de si próprios. Hoje, infelizmente, apenas podem chorar.
Há, e já agora, a foto do filme é A Canção de Lisboa.

 
Às 6:22 da manhã , Anonymous Luis Fernando disse...

Bem, começamos a falar do Costa d'Africa e acabamos a discutir os chavões de ódio que os politicos pós 25 abril de 1974 cuspiam. Em comum entre o filme e os chavões, só a comédia.
O filme mostra o português self made man em Africa, expondo os seus ridiculos.
Hoje, época de liberdade, igualdade, fraternidade e outras dades que vewm na lista, encontramos cada vez mais no nosso pais, discriminação no trabalho, medo na rua, desemprego social, pobreza economica.
Nos anos 50, os portugueses podiam rir-se de si próprios. Hoje, infelizmente, apenas podem chorar.
Há, e já agora, a foto do filme é A Canção de Lisboa.

 
Às 3:11 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

Não quero enviar própriamente um comentário,mas pedir a alguém que me diga onde posso comprar o filme,(O Costa d'África)ou se o tiver se mo vende (em cassete ou DVD)enviando-mo á cobrança.Junto segue meu email,para combinar condições.
Obrigado.
Frias Gonçalves
friasg@sapo.pt

 
Às 12:39 da manhã , Blogger Maria Helena disse...

E onde comprar este filme? É que já corri tudo e não encontro

 
Às 1:02 da tarde , Blogger VICI disse...

Meus caros,

Infelizmente, penso que não encontrarão o filme à venda. Só conheço um amigo que o tem (gravado da RTP2), mas já não se encontra aqui em Macau.

Desejo-lhes sorte na procura. Se conseguir encontrá-lo, avisarei aqui no blogue.

Cumprimentos.

 
Às 1:04 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

ora bem.
eu por acaso até tenho o filme!! em VHS. Mas infelizmente não o vendo. E fazer cópias é ilegal... ainda me aparece a SIS ou a ASAE ou outra que tal, que democráticamente podem existir e fazer o que bem entenderem..... tipo igual à do antigamente mas agora com o chavão da democracia...

abraços Tété Queraminha

 
Às 10:51 da manhã , Anonymous Anónimo disse...

Para aqueles que enquanto esperam por uma edição em DVD:

http://rapidshare.com/files/168094647/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part1.rar
http://rapidshare.com/files/168095331/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part2.rar
http://rapidshare.com/files/168095866/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part3.rar
http://rapidshare.com/files/168096425/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part4.rar
http://rapidshare.com/files/168096943/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part5.rar
http://rapidshare.com/files/168097394/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part6.rar
http://rapidshare.com/files/168097885/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part7.rar
http://rapidshare.com/files/168098055/O.Costa.de.Africa.PORTUGUESE.DVDRip.XviD.part8.rar

Juntem todos os ficheiros numa mesma pasta, descomprimam e ficam com um ficheiro DivX do Filme.
... a ver se é editado num futuro próximo!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial